Congresso derruba Veto Presidencial e já começam articulações de ministros esquerdistas para reverter esse processo que ameaça a posterior vitória de mais um esquerdista nas próximas eleições

adaptado de http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2015/11/18/congresso-derruba-veto-de-dilma-ao-voto-impresso-em-eleicoes.htm
           
            O Congresso decidiu nesta quarta-feira, 18, pela derrubada do veto da presidente Dilma Rousseff ao voto impresso em eleições. Ao todo, 368 deputados votaram pela derrubada, 50 pela manutenção e uma abstenção. Na votação do Senado, foram 56 votos para derrubar e cinco para manter o veto.
            Para serem derrubados, os vetos precisariam ter o apoio de, pelo menos, 257 deputados e 41 senadores. Numa manobra regimental, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), segurou por cerca de uma hora a votação entre os senadores até garantir um quorum "confortável", nas suas palavras, para derrubar o veto de Dilma.
            Nas razões do veto, anunciado pela presidente no fim de setembro e barrado hoje, a petista disse que, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a medida geraria um impacto de R$ 1,8 bilhão em gastos com a compra dos equipamentos e custeio das eleições. O governo alegou ainda que o aumento de despesas aprovado pelo Congresso não veio acompanhado com as estimativas de impacto orçamentário, uma obrigação legal.
            Favorável à derrubada do veto, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse ser necessário aprimorar o sistema de votação no país. Ele rebateu a alegação uma cutucada do líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), segundo o qual a auditagem pedida pelo PSDB das urnas nas eleições passadas não apontaram fraude no sistema. Aécio disse que, na verdade, a apuração concluiu que o sistema não é passível de ser auditado.
            O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), disse que não há lugar no mundo que adote o modelo de voto brasileiro - urna eletrônica sem voto impresso. "Esse assunto não é da alçada da presidente da República, é do Congresso Nacional, ela deveria respeitar mais esta Casa", afirmou. Em defesa da manutenção do veto, o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), afirmou que o governo não tem condições de arcar com o custo bilionário do voto impresso. "É fundamental o veto para que tenhamos a tranquilidade no processo eleitoral de 2016 assim como tivemos em 2012", disse Pimentel, citando as duas eleições municipais.
            Para um dos vice-líderes do PT na Câmara, Henrique Fontana (RS), a oposição tenta encontrar mecanismos para deslegitimar o resultado das eleições presidenciais.
_____________________________________________________
            E imediatamente hoje, quinta-feira, 19 de Novembro, segundo a Folha de São Paulo, o ministro Carlos Ayres Brito (Presidente do TSE), mais um que mama nas tetas do PT, foi pedir socorro ao Ex-presidente Lula para que o mesmo faça algo para reverter o veto de ontem. A minha pergunta é: como? Lula nada mais é do que um civil nesse momento e que diabos lhe concederiam tais poderes para anular uma votação aprovada por um conjunto de Deputados e Senadores? Isso é uma piada. São absurdos que só ocorrem aqui no Brasil.
            Algo assim nos deixa até confusos. Nos forçando a refletir e pensar como que um ex-presidente que hoje não tem absolutamente mais nenhum poder oficial de mando no Executivo nacional ser procurado para barrar uma votação do Legislativo Federal. Seria possível isso?
            Lula recentemente disse em entrevista que não interfere na política de Dilma e que não decide por ela o que deve ser feito ou não. Será mesmo? Ele agora está tomando sua cachaça lá no Palácio do Planalto. Tem ido e voltado lá diversas vezes. O que foi isso? Visitas para matar a saudade? Claro que não. Infelizmente tudo o que sai da boca de Luiz Inácio é digno de se desconfiar. Lula é um belo aprendiz de Carl Marx. Excelente aluno de Fidel Castro. E a pergunta ainda paira: Lula conseguiria fazer algo para derrubar a votação de ontem?

Comentários