Com médias nunca antes registradas na história, o dia 16 de Outubro foi considerado o mais quente em todo o Brasil, até o momento!

Originalmente escrito por por Josélia Pegorim (Climatempo) e adaptado pela redação

         Pela quantidade de municípios que registraram 40°C ou mais, podemos dizer que o dia 16 de outubro foi o mais quente em 2015 no Brasil, até agora.
         A Região Sudeste teve a maior quantidade de temperaturas iguais ou acima dos 40°C, num total de 13 cidades. As Regiões Nordeste e Centro-Oeste tiveram 8 cidades cada uma com temperaturas de 40°C ou mais. Na Região Norte, 7 municípios registraram 40°C ou mais.
         É preciso lembrar que não há medição regular e tecnicamente confiável em todas as cidades do país. Assim, o calor de 40°C certamente foi sentido numa quantidade maior de locais do que aqueles listados aqui.
         Os termômetros dispararam! A cidade do Rio de Janeiro teve a maior temperatura do país marcando 42,8°C. Foi o dia mais quente em uma primavera no Rio em 100 anos de medições do Instituto Nacional de Meteorologia.
         A temperatura registrada no Rio de Janeiro está entre as 10 mais elevadas medidas pelo Inmet no país, em todos os tempos.

Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, teve temperatura máxima de 36,9°C, a segunda maior marca já medida pelo Inmet em 105 anos, pois as medições regulares começaram em 1910.

Por que tanto calor?

         O calor extremo nesta metade de outubro de 2015 pode ser explicado pela própria época do ano, quando grande parte do país já tem um elevado número de horas de sol diariamente, mas pela situação de estiagem que ainda predomina no país. A pouca disponibilidade de umidade no ar vem dificultado a formação e o crescimento das nuvens, além de reduzir a chance de alguma chuva.
         Além disso, as frentes frias que trazem chuva e ar polar estão tendo muita dificuldade para chegar ao Sudeste ou ao Nordeste. Quase todas estão sendo barradas sobre o Sul, que vem tendo chuva extrema, ou conseguem passar muito enfraquecidas pelo litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro. Este “impedimento” no caminho das frentes frias é um dos efeitos do fenômeno El Niño.


         









           Muito sol, pouco vento, sem chuva e sem ar polar em meados de outubro! Tudo isto permite um grande aquecimento do ar. Confira o calor extremo em cada Região, com medições do Instituto Nacional de Meteorologia e da Aeronáutica.

           Goiânia teve a maior temperatura da história registrada nesta quinta-feira (15), segundo o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet). De acordo com o órgão, termômetros marcaram 39,6°C e a umidade do ar ficou em 11%. É o maior registro de temperatura feito desde que as medições começaram a ser feitas na capital, em 1937.
           Segundo o instituto, é possível que a temperatura seja ainda maior na sexta-feira (16), podendo chegar aos 40°C. De acordo com Elizabete Alves Ferreira, chefe do setor de previsão do tempo do Inmet, a umidade é um fator de grande preocupação. "Tudo indica que Goiânia pode entrar em estado de emergência na sexta-feira, com umidade de 10%",  afirmou.
           De acordo com ela, quando o índice fica abaixo de 30% já é considerado estado de alerta. "A preocupação chega ao extremo quando atingimos 10%, com vários riscos à saúde da população", comentou.
           O último dia mais quente registrado foi nos dias 15 e 17 de outubro do ano passado, quando os termômetros marcaram 39,4 ºC. Segundo o instituto, há chances do recorde desta quinta-feira ser superado na sexta-feira, tanto a temperatura, quanto a umidade.

           Alerta no interior

           Nas cidades de Itumbiara e Pires do Rio, no sul goiano, a umidade relativa do ar registrada foi de 10%.  De acordo com o instituto, as cidades do interior que registraram as maiores temperaturas foram Aragarças, 40°C e cidade de Goiás, 39,7ºC, a antiga capital teve o dia mais quente do ano, em 24 de setembro, quando os termômetros registraram 41,9ºC.

Comentários