Gerações cada vez mais burras e tecnicamente inúteis...

       por Paulo Octávio (editorial)
       Passamos por um período de profunda transformação e decadência social decorrentes de uma onda negativa de influência comportamental advinda principalmente das redes sociais e que tem acertado em cheio o público jovem de hoje.
       Estou falando de um grave processo de incentivo à promiscuidade, à ostentação (em todos os aspectos) e às demais vertentes que não agreguem conhecimentos úteis senão o ócio e a valorização do mundo virtual, que é meramente ilusório.
       A internet é uma fonte infindável de conhecimento. Assim como também é uma fonte inesgotável de conteúdos negativos, promíscuos, fúteis e sem a mínima importância. E a verdade é que o lado ruim dela tem detonado e inutilizado as mentes dos nossos jovens, que não passam, hoje, de um monte de parasitas doutrinados a consumirem mídias, modas, pensamentos e comportamentos sem sequer terem condições para parar e pensar um pouco sobre o rumo que estão seguindo.
       Jovens com famílias de menor poder aquisitivo são os mais afetados por isso pela simples razão de desconhecerem ou terem pouca ou talvez nenhuma leitura de mundo e muito menos incentivo à buscá-la.
       Tudo isso que acontece não é estranho ao Brasil. Não mesmo. Afinal o que esperar de um país em que a própria mídia popular (Televisão) promove o emburrecimento das pessoas pelo baixo nível de qualidade intelectual de sua programação?
       No campo da música os brasileiros se tornaram campeões na mediocridade e na pobreza de conteúdo como nunca antes. O Funk e o Sertanejo "universitário" dominam praticamente todas as festas de sul a norte nesse maldito país. Estão nas ruas sendo reproduzidos em volume alto nos carros de pessoas imbecis que não têm nem interesse para ouvir outros gêneros a não ser esse lixo de música produzido por artistas oportunistas estúpidos, modistas e incapazes, que só estão a fim de encher o rabo de dinheiro, mesmo que para tanto tenham que destruir a qualidade e o respeito que a música brasileira conquistou ao longo do tempo.
       
Falta nos jovens hoje uma coisa chamada senso crítico. As escolas públicas hoje não estão servindo para mais nada a não ser encher a cabeça dos alunos com ideologias distorcidas e ao mesmo tempo os manipulam para que tomem como verdadeiros e benéficos os ideais dos comunistas que hoje estão no poder aqui no Brasil. Como disse Joyce Hasselmann, passamos por uma grave crise política, econômica e moral.
       As redes sociais hoje nada mais são do que um impressionante centro de disputa de influência e popularidade. É claro que essa afirmação não se aplica a todos os usuários. Mas essencialmente as redes sociais estão aí para tal propósito: auto promoção do indivíduo. Está tudo uma bagunça!
       
Vemos jovens fazendo coisas inusitadas/absurdas para conquistarem míseras curtidas ou para serem vistos pelos outros. É algo difícil de se notar mas a sociedade está sendo moldada em torno desse universo asqueroso baseado no status. As consequências disso serão gravíssimas e hoje todos os internautas que estão se esforçando para alertar os jovens sobre isso quase não têm reconhecimento e nem audiência pois mais uma vez a futilidade tem mais vez e mais destaque na internet do que isso que discuto aqui hoje.

Comentários